Páginas

terça-feira, 28 de março de 2017

A mãe abandonou sua bebê no hospital. 20 anos depois, ela mal podia acreditar no que sua filha se tornaria.


Imagem de reprodução
Durante os Jogos de Verão Paralímpicos de Londres (Inglaterra) em 2012, o mundo inteiro estava comentando a respeito de uma mulher: Jessica Long, de 20 anos. Ela ganhou cinco medalhas de ouro e duas de prata, se tornando a nadadora com deficiência de maior sucesso da história. Mas o que muitas pessoas não sabiam na época é que a vida de Jessica começou com muitas adversidades. 


Jessica agora vive nos Estados Unidos, mas nasceu num vilarejo russo perto da Sibéria. Seus pais biológicos lhe deram o nome Tatiana, mas não estavam dispostos a lhe dar um lar. 



Tatiana nasceu com hemimelia fibular, uma doença na qual os ossos da parte inferior das pernas não de formaram. De acordo com os médicos, ela provavelmente nunca poderia andar. Temendo o fardo da deficiência da filha, seus pais decidiram que não estavam dispostos a lidar com a tarefa de criá-la e a entregaram para a adoção. 



Tatiana passou o primeiro ano de sua vida em um orfanato pobre da Sibéria. Os recursos eram escassos - eles não tinham nem fraldas para as crianças e usavam panos velhos no lugar delas. Quando Beth e Steven Long descobriram o perfil da garotinha em um banco de dados internacional de adoção, eles souberam imediatamente que era ela que eles queriam. Eles se decidiram e então viajaram meio mundo para adotá-la. 



Durante o processo de adoção, foi dito a Beth e Steven que Tatiana não tinha parentes vivos. Eles levaram a menina de 13 meses para dos EUA e lhe deram um novo nome: Jessica. Quando ela tinha apenas 1 ano e 6 meses, suas pernas foram amputadas e ela aprendeu a andar com próteses.



19 anos depois, quando o mundo estava torcendo para a "sereia", Jessica anunciou que queria descobrir o que tinha acontecido com sua mãe biológica. Ela soube desde pequena que tinha sido adotada, mas sempre supôs que seus pais biológicos estivessem mortos. Quando ela entrou em contato com as autoridades russas para descobrir como eles haviam morrido, ela ficou surpresa ao saber que eles ainda estavam vivos e que viviam perto da cidade de Bratsk.



Jessica soube imediatamente que tinha que conhecê-los. Ela estava vivendo uma vida tão incrível e realizando os seus sonhos, mas agora ela simplesmente queria agradecer às pessoas que lhe deram a vida.



A mãe biológica de Jessica quase desmaiou quando descobriu por jornalistas o que havia acontecido com sua filha. A menina tinha se tornado uma nadadora de elite e agora queria entrar em contato com ela. Ela caiu em prantos e decidiu escrever uma carta para Jessica e marcar um encontro. 



Finalmente, em 2013, Jessica visitou a cidade em que nasceu. Sua mãe biológica caiu no choro quando viu a filha pela primeira vez em quase 20 anos. Ela abraçou Jessica e disse: "Minha garotinha. Me desculpa". Jessica não entendia nenhuma palavra em russo, mas naquela noite ela enviou uma mensagem à mãe pelo Facebook. Ela escreveu: "Eu simplesmente te amo". Essas foram palavras que sua mãe nunca esperou ouvir.



O reencontro de Jessica com seus pais biológicos comoveu o mundo quase tanto quanto suas incríveis conquistas atléticas. Ela viajou meio mundo para conhecer sua mãe e deixá-la saber que ela é grata por ela lhe ter dado a vida. Esta é uma história maravilhosa de amor e perdão.

Fonte: kp.ru, via Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário