Páginas

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Todos pensavam que ele era obeso. Mas quando o operaram, descobriram algo bizarro em seu corpo, crescendo há mais de 10 anos.


"Você só é gordo!"

Roger Logan ouviu essa frase inúmeras vezes, não importavam em que médico ele fosse. Por não se exercitar o bastante, a grande quantidade de gordura em seu abdômen tinha começado a se inclinar para baixo e agora era um enorme saco balançando entre suas pernas, quase no chão. 


Roger comparava a sensação de carregar tal fardo com estar carregando constantemente três sacos de cimento. 
O homem de 57 anos passou os últimos quatro anos quase que totalmente em uma enorme poltrona. O tamanho de seu corpo dificultava sua locomoção. Ele não conseguia mais administrar sua loja de antiguidades em Gulfport, Mississipi (EUA), e não conseguia mais levar uma vida normal. 


Todos os médicos que ele consultou lhe disseram que obesidade era o único problema que ele tinha. Roger teve que se contentar com o diagnóstico, pois seu abdômen era grande demais para passar por uma tomografia computadorizada ou qualquer outro teste convencional.
Além disso, nenhum cirurgião o aceitava como paciente porque a massa era considerada inoperável e o risco era grande demais. Como ninguém podia ajudá-lo, Roger começou a ficar deprimido. Ele parou de comer e beber e acabou no hospital por causa de desidratação grave e falência renal. 


Foi a sua esposa, Kitty, que não desistiu e finalmente encontrou um médico na Califórnia que já tinha tratado um caso parecido. Ele estava preparado para operar Roger. 
Eles dirigiram do Mississipi até a Califórnia para o procedimento, alugando um caminhão pequeno no qual Roger e sua poltrona cabiam. A viagem levou quase 40 horas. 


E então finalmente, durante a cirurgia, o verdadeiro problema de Roger apareceu. Ele não era apenas gordo no final das contas.
Acontece que ele estava carregando um tumor de 59 kg em sua barriga! Tudo tinha começado há cerca de 15 anos com um simples cabelo encravado. O folículo infeccionou e desenvolveu-se em um tumor, que se expandiu constantemente com acesso ao seu próprio suprimento de sangue. 


Enquanto seus médicos anunciaram que a cirurgia tinha sido realizada com sucesso e sem complicações, Roger fez o mesmo em seu Facebook, mas de forma mais sucinta e num tom charmoso de desafio e vitalidade: "Ainda estou aqui, trouxas!"



Depois da cirurgia, Roger precisou ficar na Califórnia para mais duas semanas de reabilitação. Sua recuperação envolve sessões de fisioterapias bem pesadas que realmente testaram seus limites. Roger descreveu o regime extenuante em outra publicação no Facebook: a última vez em que ele "se machucou tanto assim e ficou tão cansado" foi quando ele "foi atropelado por um ônibus escolar". 
Que bom que Roger (e sua esposa Kitty) persistiram até conseguirem a ajuda necessária. Esta história é um exemplo perfeito do por quê você deve sempre procurar uma segunda opinião quando se trata de aconselhamento médico. 

Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário