Páginas

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Este médico mais famoso do século XIX escondeu um segredo inimaginável. Mas quando foi descoberto, nada podia ser feito.


Imagem de reprodução
O século XIX testemunhou a vida de um dos médicos mais famosos de sua época. Porém, suas contribuições à medicina moderna foram ofuscadas ao descobrirem um segredo incrível após a sua morte. 













Suas principais realizações estavam ligadas ao descobrimento do papel da higiene na medicina. Graças a isso, o nível de sobrevivência de seus pacientes disparou a números nunca antes vistos. De fato, ele indicou a relação entre tubulações sujas com material fecal e doenças, detendo assim a terrível expansão de cólera e lepra que assolavam o continente africano. Além disso, ele foi o primeiro médico a realizar uma cesariana bem sucedida, na qual tanto a mãe quanto bebê conseguiram sobreviver. 
Porém, logo após sua morte, no ano de 1865, a enfermeira responsável por preparar seu cadáver teve uma surpresa chocante ao levantar os lençóis...
James Miranda Barry não existe em qualquer registro antes de sua matrícula na Universidade de Edimburgo. Lá, ele se destacou como estudante e foi um dos poucos que se graduou na prestigiada escola de medicina. Pouco depois ele estava trabalhando como voluntário e tendo aulas dia e noite para se tornar um cirurgião. 
Quando terminou os estudos, ele entrou na equipe de cirurgiões do exército e trabalhou em diferentes países que até então eram colônias do Império Britânico. Jamaica, Índia, Crimeia, África do Sul, entre outros, são alguns dos lugares onde ele foi e adquiriu fama graças ao seu trabalho excelente como médico. Ele praticamente criou hospitais em lugares onde não havia nada antes, freou a expansão do cólera devido à falta de higiene e realizou diversas cirurgias bem sucedidas.



Ele chegou a obter a patente mais alta que um médico militar pode obter: Inspetor Geral de Hospitais, além de ser amigo próximo do governador Charles Somerset. Mas nada disso importou quando se descobriu a verdade sobre a sua vida, já que, quando a enfermeira que preparava o funeral levantou o lençol que o cobria, descobriu o inimaginável: James Barry, o famoso médico da armada britânica, era uma mulher! 


É isso mesmo que você leu. O outro lado dessa história é alucinante e começa assim: o nome real de James Barry era Margaret Ann Bulkley, uma menina nascida em 1789, em County Cork, na Irlanda. Seu tio, James Barry (daí vem o nome) e seu amigo muito próximo, o político e general revolucionário venezuelano Francisco Miranda, acreditavam na aptidão de Margaret para ser médica. Porém, como mulheres eram proibidas de estudar medicina, eles criaram um plano maluco: eles a fariam se passar por homem.
Seu tio lhe deu o nome, e Francisco Miranda lhe prometeu que, quando ela terminasse seus estudos, a levaria para a Venezuela, onde poderia exercer sua profissão livremente como mulher. Mas, infelizmente, Miranda foi preso por espanhóis em Cádiz e morreu pouco depois. A partir de então, Margaret teve que ocultar sua identidade verdadeira para sempre. 
Margaret tomou a decisão de juntar-se ao exército e ir para outros países para não ser descoberta em sua terra natal. Lá, ela conseguiu esconder que era mulher, ainda que tenha se metido em problemas para manter seu personagem, como um duelo de pistolas contra alguém que ousou duvidar de sua "masculinidade". Na verdade, os rumores de que ela mantinha uma relação homossexual com o governador Charles Somerset arruinaram a vida política dele. 
O escândalo do descobrimento da verdadeira sexualidade do aclamado cirurgião ofuscou os sucessos que essa mulher incrível alcançou na área da medicina. Tudo graças à sua capacidade de compreender a importância da higiene e esterilização nessa área de atuação. 
Em 1864, ela voltou à Inglaterra por causa de sua saúde ruim e morreu pouco tempo depois. Hoje, resgatamos o seu legado: Margaret Ann Bulkley (ou James Barry) foi a primeira médica na Grã Bretanha. Graças à sua coragem, alcançamos avanços muito valiosos para a medicina moderna. Sua determinação, habilidade, força e inteligência não devem ser esquecidas. 
Ah, e a enfermeira não só descobriu que ela era mulher, como também que, julgando pelas marcas em seu estômago, também tinha sido mãe! De quem? Não sabemos. O mistério ficará para sempre escondido na história, junto com tantos outros.



Fonte: El español, Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário