Páginas

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Um homem viu um rosto magro e pálido na janela do vizinho. Ao entrar na casa, o agente ficou horrorizado.


Imagem de reprodução
O policial Mark Holste da Flórida, nos Estados Unidos, jamais esquecerá a ligação que recebeu no dia 13 de julho de 2005. Um homem relatou ter visto uma menina misteriosa e pálida na janela da casa de seu vizinho.

A casa em questão era uma residência destruída e mal cuidada, onde uma mulher residia há 3 anos. Porém, nunca ninguém tinha visto uma criança ali.


O vizinho fez a denúncia pois temia estar diante de um caso de abuso infantil. A polícia começou imediatamente uma investigação.


O agente Holste bateu à porta e depois entrou na casa. O que ele encontrou lá dentro o deixou com ânsia de vômito: fezes de animais por todo lado, alimentos mastigados e estragados, lixo, teias de aranha e centenas de baratas.


Mas o pior de tudo foi a criança que ele encontrou: uma menina de 6 anos, faminta e vestida apenas com uma fralda suja, sentada no chão e cercada por lixo.



"Quando entrei na sala, seus olhos se arregalaram. Ela abriu a boca e depois se arrastou de lado, como um caranguejo, para o canto, e envolveu seus joelhos com seus braços. E aí ela começou a fazer ruídos", relatou o policial em choque.



A menina se chamava Danielle. Ela foi imediatamente levada para o hospital em um estado miserável. Sua fala e maneirismos eram semelhantes aos de um bêbe de apenas 6 meses. Ela não tinha recebido amor e atenção de sua mãe.


A mãe de Danielle foi condenada a 2 anos de prisão domiciliar e a 3 anos de liberdade condicional. Danielle foi levada para longe dela.
A menina, que tinha sido maltratada a vida inteira, finalmente teve um pouco de sorte. Em vez de ser enviada para um orfanato, ela foi adotada por um casal amoroso, Diane e Bernie Lierow. Eles já tinham quatro filhos, mas sempre quiseram ter uma menina. Quando viram Danielle, eles decidiram que queriam cuidar dela para sempre.



Danielle foi oficialmente adotada poucos dias antes de seu 8.º aniversário. Mas a jornada nessa nova vida não foi fácil para ela e nem para sua nova família. A garotinha ainda segue lutando para superar o trauma e as enormes feridas psicológicas do seu passado.



"Ela tem 7 ou 8 ataques de pirraça todos os dias", disse Bernie, seu novo pai. "E ela é obcecada com a comida. Muitas vezes ela come até vomitar."


Essa é a razão que levou os pais a trancarem a geladeira com um cadeado, caso contrário, Danielle esvazia tudo. Mas eles entendem seus motivos: no passado, sua mãe quase a deixou morrer de fome.



Porém, apesar de sua terrível infância, Danielle fez muitos progressos. Ela agora tem 15 anos, gosta de ir à escola e tem uma relação próxima com seu pai adotivo. Ele diz: "Ela tem uma mente de 2 anos no corpo de uma menina de 15 anos".



Todos os dias ela dá pequenos passos na direção da fase adulta. Seus pais têm esperança de que um dia ela seja independente e talvez até chegue a se casar. "Ter Dani em nossas vidas é como viver numa montanha-russa. Mas nós não queremos descer", dizem seus pais.



Desejamos tudo de bom para Danielle e para sua família. Esperamos que ela possa, no futuro, levar uma vida normal e ser feliz. Nenhuma criança deveria passar pelo que ela passou.

Não Acredito




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário