Páginas

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Policiais invadem esta casa após uma ligação. O que eles descobriram os deixou extremamente chocados.


Imagem de reprodução
À primeira vista, não há nada de incomum nesta vizinhança da cidade de Lviv, na Ucrânia. Ruas estreitas e silenciosas estão alinhadas a casas perfeitamente normais para a área. Em bairros como este, os vizinhos não costumam ter segredos entre eles. Mas uma família estava escondendo algo sinistro há 15 anos. Os moradores daquela rua conheciam os Kuchumoys e só tinham coisas boas a dizer sobre o casal. Isso é, até que suas ações obscuras vieram à tona. 




A descoberta começou com uma ligação anônima para a polícia, em julho de 2013. A voz disse que duas crianças estavam trancadas naquela casa. Assim, a polícia, acompanhada de assistentes sociais, fez uma visita aos Kuchumoys. A mãe, Natalya, se recusou a deixá-los entrar, mas eles a forçaram a abrir a porta. O que eles encontraram dentro daquelas paredes era inesquecivelmente terrível. 


O interior era tão escuro e imundo que os assistentes mal conseguiam acreditar que uma família vivia ali. Mas o pior foi quando eles encontraram duas crianças. Um menino estava deitado em um canto em um colchão imundo. Ele mal parecia humano e, ao pensar que eles queriam encurralá-lo, entrou em pânico, tentando se esconder embaixo de um pano, que era também seu único cobertor. 



Mais tarde, eles descobririam que o nome do menino era Lubomir Jr. e que ele tinha 14 anos. 
Os meninos foram imediatamente retirados da casa e levados ao hospital. A mãe chocou os assistentes sociais e os policiais ao simplesmente assistir a tudo sem fazer nada. Ela estava completamente calma e não parecia entender porque os visitantes estavam tão chocados. Ela explicou à polícia que às vezes "abria a janela" para que os meninos sempre tivessem "ar suficiente". 



Os médicos também ficaram horrorizados quando Lubomir e Yuriy chegaram no hospital. Nenhum deles conseguia falar, andar ou sequer segurar os talheres para comer. Os meninos se moviam engatinhando e seus corpos estavam cheios de feridas e arranhões. 
Depois, ficou-se sabendo que Lubomir só tinha saído de casa três vezes em toda sua vida e que Yuriy, em seus seis anos de vida, jamais tinha visto a luz do dia. Ambos tinham sido mantidos em casa como cachorros e eram forçados a comer em um prato colocado no chão. 
Os pais logo foram presos e acusados de negligência e abuso. A mãe foi considerada psicologicamente incapaz e sentenciada à terapia, mas o pai, Lubomir Senior, foi mandado para a prisão por dois anos. 
Ninguém na vizinhança jamais tinha imaginado o que se passava por trás das paredes daquela casa. Ocasionalmente, alguns vizinhos, que sabiam que eles tinham filhos, perguntavam se os meninos não brincavam do lado de fora, mas os pais sempre tinham desculpas plausíveis. Os colegas de trabalho de Lubomir ficaram chocados quando souberam das crianças. Eles sempre o consideraram um homem comum e quieto.
Até agora, nenhum dos pais reconheceu que negligenciou os filhos: aparentemente, ambos estão convencidos de que isso era necessário para protegê-los do frio ou da fome. 
Enquanto isso, Yuriy e Lubomir foram levados para um lar para crianças com deficiência mental, onde estão fazendo grande progresso, ainda que o pobre Lubomir não consiga andar. Seus músculos tinham atrofiado tanto, e ele tinha sido privado de atendimento médico por tanto tempo, que não é certo se ele conseguirá se recuperar totalmente. Mas agora ele não tem mais ataques de pânico por causa de outras pessoas, tem curiosidade de conhecer outras crianças e está encontrando formas de se comunicar com elas.



Yuriy ainda é muito tímido, mas ele está lentamente desenvolvendo a curiosidade típica de um menino de 9 anos. Ainda que ele pareça muito mais novo, ele está claramente bem mais saudável do que no dia em que os policiais o encontraram. 



Ainda parece inacreditável que isso tenha acontecido no meio de uma cidade grande e que ,em um local cheio de médicos, professores e vizinhos, dois garotinhos possam ter sido criados, completamente em segredo, nas piores condições possíveis. 



Por mais que os meninos estejam se recuperando lentamente, a crueldade extrema de seus pais vai segui-los pelo resto de suas vidas. Esperamos que eles continuem recebendo todo o apoio e cuidado possíveis para que, qualquer que seja seu potencial, eles consigam tirar muito, muito mais da vida do que a infância deles prometia! 
Esperamos Yuriy e Lubomir continuem a fazer progressos e que encontrem uma família que lhes dê tudo o que eles merecem!

Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques