Páginas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Família volta para casa após 3 meses fora e quando chega acha outras pessoas morando no local


Imagem de reprodução / G1
Uma família teve uma surpresa desagradável após retornar para casa depois de passar aproximadamente três meses fora do imóvel. Ao retornar para a residência, localizada em Ribeirão Preto (SP), os moradores descobriram que outra família estava vivendo no local. O homem que está na residência agora alega que comprou a casa de uma parente da família que se diz dona da propriedade e afirma que já está vivendo no imóvel há dois anos.


“Ele falou que comprou a casa e que era pra eu sair de lá e que ele ia dar um tiro na minha cara se eu tentasse entrar”; disse Fernanda Souza

A Polícia Civil investiga os crimes de invasão de propriedade e furto, mas orientou a família a entrar na Justiça para requerer a reintegração de posse.
A dona de casa Fernanda Souza afirma que ela, a mãe, uma tia e um sobrinho vivem na casa, que foi comprada pelo pai de Fernanda, que já morreu, em 1998. A residência fica no Parque Residencial Candido Portinari e Fernanda afirma que tem enfrentado problemas de saúde devido ao fato.

"Estou à base de calmante tarja preta pra ter condições de poder conversar", diz.
Segundo Fernanda, toda a família deixou o imóvel há aproximadamente 90 dias para acompanhar sua mãe em um tratamento médico e não voltou para casa durante esse período. Ela afirma que foi surpreendida ao notar a movimentação dentro da casa.
"A gente não voltou porque a casa é toda fechada e tem cerca elétrica. Eu bati no portão para ver o que estava acontecendo e nisso saiu um cidadão de lá dizendo que tinha comprado a casa da minha tia, que inclusive estava doente, fazendo tratamento juntamente com a minha mãe. Ele falou que comprou a casa dela e que era pra eu sair de lá e que ele ia dar um tiro na minha cara se eu tentasse entrar", explica.
Assustados, os familiares resolveram deixar o local e a dona de casa explica que eles estão sem os pertences que haviam sido deixados dentro do imóvel e que aparentemente desapareceram durante o período que ficaram longe da residência.
"Eu disse ‘deixa eu tentar entrar só pra eu pegar algumas coisas pessoais como roupas, pelo menos’ e ele não deixou e me ameaçou caso eu tentasse entrar. Ele também ameaçou minha mãe, que tem 70 anos, e quando ele fez isso eu achei melhor recuar. Eu tenho cinco trocas de roupa, uma sandália, xampu e é isso que eu tenho. Da minha casa o que sobrou foi isso".
Eles conseguiram entrar no local apenas após procurar a polícia, três dias após retornar para Ribeirão Preto. Ao chegar na residência, ela afirma que ficou surpresa quando notou que nenhum dos pertences que a família havia deixado no imóvel estava lá, o que inclui um carro usado por eles.
O atual morador do imóvel, Eder Fabri, afirma que adquiriu a casa de uma tia de Fernanda, que teria estado o tempo todo em São Paulo. A mulher nega que tenha vendido a casa para o homem e diz que nunca tinha visto o rapaz antes de voltar para Ribeirão Preto acompanhada da sobrinha e de seus outros parentes. O entregador Eder Fabri acredita que foi enganado.


"A velha negociou a casa comigo. Eu dei R$ 160 mil para ela mais 20 parcelas de R$ 2 mil e falou que quando eu acabasse de pagá-la ela me daria os documentos da casa. Ela vendeu a casa do irmão dela pra mim. E não vai ficar assim não, se eu perder R$ 160 mil que eu tirei dos meus filhos pra comprar uma coisa pra eles. Agora está tudo com meu advogado", finaliza.
Na delegacia, ele deu a mesma versão, mas disse que já está morando na casa há dois anos e que teria um contrato, mas não localizou o documento para apresentar às autoridades.
A Polícia Civil afirma que abriu um inquérito para investigar crimes de invasão de propriedade e furto, mas o delegado responsável pelo caso explicou que a própria família deverá entrar com uma ação de reintegração de posse.

Informações e fotos: G1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário