Páginas

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Esta mãe está cansada de ver as crianças apontar o dedo para a sua filha. Mas quando ela faz ISSO, todos querem ser amigos dela.


Imagem de reprodução
Madison Gatlin nasceu com uma condição chamada Cloves, que faz com que o líquido linfático inche sob seus braços e peito.

Essa doença rara é causada por uma mutação genética e afeta apenas 200 pessoas em todo o mundo.
Os médicos descobriram pela primeira vez o fluido incomum durante o ultrassom de 15 semanas de sua mãe.
Desde o seu nascimento, o inchaço no tronco e nos braços de Madison continuou crescendo e estima-se que pesa cerca de 5 quilos.





A menina de 18 meses, de Crestview, na Flórida, é considerada uma maravilha médica, depois de desafiar a morte e aprender a andar, apesar das previsões dos médicos contra ela.



Sua mãe Joni disse: "Parece que ela ganhou peso na metade superior de seu corpo, isso faz com que ela se pareça com uma fisiculturista, ela é como um bebê Hulk ".
"Seu apelido começou durante um exemplo, quando uns meninos gêmeos me perguntaram o que havia de errado com ela. Eu disse a eles que seu pai era o Hulk e então, eles acreditaram”.
"Depois que eu disse a eles que ela era a filha do Hulk, eles queriam que ela fosse sua melhor amiga”.
"Eu não quero que as pessoas tenham medo da minha filha, não há nada de errado com ela, ela só tem um mal funcionamento do gene”.
“Eu digo a crianças mais novas que ela é um bebê Hulk porque eu não acho que elas iriam entender a condição da minha filha, e desta forma, as crianças não ficam com medo dela e não a tratam mal, e sim de forma diferente”.
"Você tem que tentar ter um senso de humor com algo assim."




Meses de testes finalmente revelaram o transtorno progressivo raro do crescimento excessivo da criança.
Joni disse: "Quando ela Madison nasceu, parecia drasticamente diferente do que eu esperava, sua cintura era alta até os ombros e ela parecia muito musculosa”.



"A maioria de sua parte superior do corpo e seus braços estão cheios de líquido linfático que seu corpo é incapaz de drenar novamente em sua corrente sanguínea, levando a massas císticas desenvolvendo nessas áreas”.

"Particularmente em seu braço direito, a massa é atualmente do tamanho de uma melancia pequena e continuará crescendo em seu corpo, de acordo com a sua altura e peso”.

Em um esforço para parar a expansão do crescimento, especialistas realizaram uma cauterização química onde uma pequena quantidade de líquido foi retirado do corpo de Madison e injetado com uma mistura de medicação e solução salina.
Ela também tem que usar roupas de compressão 24 horas por dia e tem o fluido drenado duas vezes por dia.
Ao longo do tempo é esperado que o tratamento irá reduzir o inchaço para um tamanho onde os cirurgiões serão capazes de operar.
Até então, sua mãe aprendeu a replicar os tratamentos hospitalares em casa.
Médicos elogiaram Joni por seu trabalho incansável e disseram que se não fosse seu cuidado delicado com Madison, ela já teria morrido.

Ela disse: "Fazemos tudo o que podemos para Madison e ela está reagindo muito bem, nos disseram que se não fizéssemos isso ela não estaria aqui".


Joni está determinada a não esconder da sua filha a vida normal e tenta aumentar a consciência da doença, apesar de lutar com comentários do público.

Ela disse: "Estou fazendo tudo que posso como mãe, não quero colocá-la em uma bolha”.
"Ela vai para fora para jogar, nós só temos que desinfetar tudo muito mais, mas ela faz tudo que qualquer criança normal pode fazer”.
"Foi minha escolha cuidar da minha filha e defende-la muito bem, tenho certeza que todos sabem sobre sua condição."

Joni acrescentou: "Madison é definitivamente uma criança milagrosa, ela está desafiando as chances todos os dias”.

"Ela está mesmo superando as previsões de médicos que nos disseram que ela não seria capaz de sentar, andar ou rastejar e ela pode fazer tudo isso."

A família Gatlin está arrecadando dinheiro para tentar cobrir as contas médicas de Madison. Para doar clique aqui!

Compartilhe essa história com todos os seus amigos.

Informações: Metro
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário