Páginas

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Ela foi obrigada a fazer uma cirurgia para dar à luz. No dia seguinte, ela posta uma foto do que aconteceu com seu corpo.


Imagem de reprodução
Há um momento na vida de qualquer mãe do qual ela nunca irá esquecer: o nascimento do seu filho. Quer seja naturalmente ou via cesariana, essa é uma experiência como nenhuma outra. No entanto, para Raquel Maldonado isso se tornou um sério problema.
Raquel sempre planejou ter seu bebê de através do parto natural e sonhava sobre como esse dia seria. Mas na 32ª semana de gravidez, ela recebeu uma amarga notícia: seu bebê estava em posição invertida dentro do útero, o que significava que os pés iam sair primeiro. Esse tipo de parto pode ser extremamente perigoso tanto para a mãe, quanto para a criança.



A solução para o problema era fazer uma cesariana. Raquel estava cheia de dúvidas e medo. Ela temia as consequências que seu corpo sofreria com a operação e lutou com a confusão emocional de não se sentir valorizada como mãe, ou perder seu "instinto maternal".
Na Califórnia (EUA), onde ela vive com seu marido, passar por um parto natural com a criança estando em posição invertida é proibido, devido aos riscos envolvidos para o bebê. Raquel não tinha escolha: ela tinha que aceitar o fato de que seu bebê nasceria através de uma cirurgia.



Raquel tentou lidar melhor com a situação se informando. Ela pesquisou na internet, entrou em contato com outras mãe que haviam passado pela mesma situação e começou a aprender sobre o assunto.
No dia do nascimento de sua filha Alexa, Raquel estava determinada a fazer dessa a melhor experiência de sua vida. E foi! Raquel compartilhou fotos da pequena em seu Instagram. O procedimento foi tranquilo, a filhinha dela estava completamente saudável e seu marido teve até permissão para cortar o cordão umbilical.
Quando Raquel segurou sua filha pela primeira vez, ela soube que nada mais importava.





Todos os medos desapareceram em um instante e Raquel agora tem uma mensagem importante para dar a todas as mulheres que se sentem angustiadas por perderem seu espírito maternal ao terem que passar por uma cesariana:
"Eu não sinto como se eu tivesse tido um parto roubado ou seja menos corajosa. Esta cicatriz prova que eu sou mesmo uma mãe hardcore!"
As coisas podem nem sempre sairem como planejamos, mas, no final das contas, nós temos que tirar o maior proveito da situação. Foi exatamente isso que Raquel fez, e quando ela olha para a cicatriz da cirurgia em sua barriga, ela sabe que é uma mulher forte e tão vital quanto as mães que fizeram parto natural.
"Eu não poderia estar mais orgulhosa desta cicatriz. Eu não poderia estar mais orgulhosa de mim mesma", escreveu Raquel em seu Instagram.
Esperamos que a abertura dela e seu encorajamento ajudem outras mães que também estão tendo que lidar com o estresse emocional que vem por não poderem ter um parto natural.


Little Things, via Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário