Páginas

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Inferno nas fazendas de carne de cachorros: Cães famintos e assustados esperam a morte em jaulas enferrujadas; assista


Imagem de reprodução
Mais de 200 filhotes de cães vivem enfiados em gaiolas enferrujadas sujas, e mal alimentados antes de serem arrastados para o matadouro.

Mais de 2,5 milhões de cães vivem nessas condições e estão espalhados em 17.000 fazendas na Coreia do Sul.
As imagens chocantes mostram os cães indefesos vivendo em gaiolas de metal enferrujadas, seus gritos de misericórdia fazem um barulho ensurdecedor.

Assista ao vídeo notícia e veja as imagens:


No entanto, a indústria agrícola cruel de cães continua a ser um assunto tabu para uma nação orgulhosa de ser uma potência global em tecnologia e sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018.
A Coreia do Sul é o único país no mundo conhecido por comercializar cães para o consumo humano. O Daily Mirror expôs o custo terrível para os animais.
O apresentador da TV Fauna Chris Packham disse: "Muita coisa pode ser feita sobre a diferença cultural aqui, mas se queremos compartilhar este mundo, então temos que refletir cada comportamento”.
"Então, se estão cedendo os Jogos Olímpicos e tudo o que isso significa em termos de humanidade, credo, cor ou religião, então a Coreia do Sul não pode simplesmente dizer que quer os benefícios dos jogos enquanto os animais estão sendo maltratados e abatidos desta forma.”
"Eu não quero ligar a minha TV para assistir a cerimônia de abertura, sabendo que ao virar a esquina vou encontrar uma fazenda lotada de cães onde os animais estão sofrendo em condições terríveis."

A indústria de carne canina fatura cerca de R$ 800 milhões. 10.000 restaurantes licenciados e não licenciados na Coreia do Sul, comercializam a carne de cachorro.
Mais de 200 animais foram encontrados mantidos em condições imundas em uma fazenda na província de Gangwon, a leste da capital Seul.
As imagens mostram fileiras de cães de todas as formas e tamanhos criados para o comércio da sua carne com pouca regulamentação e sem compaixão. 
Várias raças de cães podem ser exploradas para o comércio de carne, incluindo labradores, beagles, huskies e até mesmo Chihuahuas.
"A maioria dos animais ficam com as patas em carne viva por tentar caminhar sobre o chão de arame duro e não tem condições nenhuma para dormir” disse a protetora do bem-estar animal da caridade de Humane Society International, que descreveu o cultivo de cães como horrível

"Cães com úlcera é uma visão comum, às vezes vemos filhotes que têm feridas nas patas também. O mau cheiro de fezes e amônia misturados com a comida que eles são forçados a comer, é insuportável. "

Estima-se que 30 milhões de cães são mortos para consumo humano a cada ano em toda a Ásia, incluindo a China, Filipinas, Tailândia, Laos, Vietnã e Camboja. Na Coreia do Sul o consumo de cão é mais popular durante os meses de verão.
As informações são de Mirror
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário