Páginas

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Este homem passou 15 anos enterrando bebês abortados. Mas quando as mães o visitam, ele faz algo surpreendente.


Imagem de reprodução
Tong Phuoc Phuc do Vietnã, mostrou ao mundo o que é altruísmo: ele salvou a vida de mais de 100 crianças nos últimos 15 anos. Tudo começou em 2001, quando a esposa dele estava grávida. Ele foi com ela ao hospital e notou que mulheres grávidas entravam no consultório ao lado e saíam de lá sem filho.








Levou algum tempo até que Tong percebesse exatamente o que estava acontecendo. A ideia de que estes bebês não tiveram a chance de vir ao mundo partiu o coração de Tong, então ele perguntou se poderia tirar os bebês abortados do hospital, para que eles pudessem pelo menos ter um enterro em local apropriado.


Com suas economias, o ex pedreiro comprou um pedaço de terra no topo de uma montanha chamada Hon Thom na cidade de Nha Trang. Tong começou a enterrar os bebês mortos neste local idílico. A princípio, a esposa dele achou que ele tivesse enlouquecido, mas Tong não ia desistir do seu sonho. Ele já enterrou mais de 10.000 bebês desde então, mas o que ele queria fazer realmente era salvar estas crianças. Ele disse que o seu cemitério não é um lugar para tristeza, mas um local para tocar mulheres que estão inseguras.



Mães que não tinham condições de criar sues filhos começaram a ir até Tong para pedir ajuda. O homem passou de coveiro a salvador de vidas adotando incontáveis crianças dessas mães em desespero. A ideia era que, uma vez que as mulheres estivessem em condições melhores, as crianças voltassem para elas. Então, o que era apenas um cemitério, se tornou um lar especial para mais de 100 crianças.



Era impossível controlar todas as crianças, então Tong inventou um apelido fácil de lembrar para cada uma: todos os meninos eram chamados "Vinh" (honra), e todas as meninas eram chamadas "Tam" (coração). O segundo e terceiro nomes são o nome da mãe e o sobrenome de Tong, respectivamente. Mas este pai não trata as crianças como filhos adotivos provisórios, eles são como se fossem seus próprios filhos.



Cuidar e criar tantas crianças é, obviamente, uma tarefa enorme, mas Tong ama seu papel de pai. "Eu vou continuar este trabalho até eu dar o meu último suspiro.", ele disse. "Eu espero que os meus próprios filhos continuem ajudando as pessoas quando eu partir." Você pode ver o amor e a gratidão no olhar de cada uma de suas crianças.
Você consegue imaginar um pai mais carinhoso? O trabalho de Tong mostra o que poderia acontecer se todos nós déssemos uma chance à vida. Mesmo que nem todo mundo tenha a força ou as condições para isso, seria bom se todos aprendêssemos um pouco com a atitude desta família inspiradora.

Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques