Páginas

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Assassinato do ex BBB Cowboy é um mistério e ninguém ousa tocar no assunto



Mais de 5 anos já se passaram e a polícia ainda não tem uma resposta para o assassinato de André Luís Gusmão de Almeida, o André Cowboy, participante da 9ª edição de reality show Big Brother Brasil . 
O crime foi no sítio da vítima, onde também funcionava seu restaurante, o Sushi Rancho do Cowboy, e de onde sumiram alguns eletrônicos. A delegada Luciane Toledo, responsável pelo caso na época, disse no início das investigações que André Cowboy não deve ter reagido.


De acordo com o boletim de ocorrência, por volta das 2h do dia 1 de junho, André ouviu latidos dos cachorros e saiu para ver o que era. Pouco tempo depois sua mulher, Luciana procurou pelo marido, que não respondeu. Ela então acionou a Polícia Militar (PM) e André foi localizado em uma casa usada para receber hóspedes no sítio.

Luciana relatou que a PM não teria permitido que ela visse o marido ferido de morte. Para evitar que presenciasse a cena, as primeiras autoridades a chegar e socorrer o ex-BBB teriam dito que ele havia sido "sequestrado" para levá-lo ao hospital sem o conhecimento dela.
Cowboy foi levado para o pronto-socorro da cidade, depois foi encaminhado ao Hospital Regional de Sorocaba, mas morreu às 5h50. Ao receber a notícia do falecimento do marido, Luciana se desesperou e agrediu o médico.
Ela cuidou para que o caixão fosse lacrado e os filhos não vissem as marcas da violência sofrida pelo pai. Dezenas de pessoas acompanharam o enterro, que ocorreu às 17h10 daquele mesmo dia. As crianças se despediram de André com uma carta colocada sobre o caixão, assim como um chapéu. A filha mais velha, na época, com 10 anos, usava outro, que só tiraria para dormir e comer nos dias seguintes.

O inquérito policial tinha prazo de 30 dias para ser concluído, mas dada a falta de informações foi prorrogado por diversas vezes. O Ministério Público se manifestou favorável às prorrogações. 
Duas hipóteses foram levantadas pela investigação: a de latrocínio e a de vingança. Cowboy tinha uma dívida de R$ 60 mil segundo sua mulher Luciana Gusmão de Almeida comentou logo após o crime. Na época, a viúva disse que o credor poderia ter sido o autor do assassinato. Hoje, porém, ela prefere não falar a respeito.


O Sushi bar que a família mantinha no sítio fechou. Segundo Luciana, o fato de o estabelecimento ter aparecido na mídia com a morte do marido fez com que o negócio ficasse mal visto. Agora ela mantém um buffet.
A família tem esperanças de que a autoria do crime seja descoberta e diz apenas que não quer mais tocar no assunto, mas não esconde a descrença ao mencionar que a região é muito escura e deserta. "Se fosse em uma cidade grande com certeza já teriam descoberto."
A vontade de não falar sobre o assassinato de André, todavia, não reflete ausência de opinião. Trata-se apenas da maneira que Luciana encontrou para "resguardar" os filhos. "Eles só têm a mim", explica ao mencionar que até mesmo amigos do casal se afastaram após a morte do Cowboy.
Ligeiramente inquieta por não poder falar aquilo que pensa, ela se desculpa pela pressa com que a conversa é encerrada. Antes, garante que ela e os filhos estão bem e agradece a preocupação.

Informações: Terra
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário