Páginas

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Adolescente que nasceu com a cabeça pendurada tem final trágico após cirurgia endireitar o seu pescoço


Imagem de reprodução
Mahendra Ahirwar de 13 anos, que nasceu com a cabeça virada para baixo, morreu após oito meses de realizar operação que corrigiu a anormalidade.

Ele sofria de uma doença rara chamada Miopatia Congênita que fazia com que os músculos de seu pescoço fossem tão fracos que sua cabeça vivia pendurada em um ângulo de 180 graus para baixo. A mãe do jovem indiano, Sumitra de 36 anos, disse que ele havia almoçado, foi assistir televisão e, por volta das 3 horas da tarde, faleceu.

Assista ao vídeo notícia:


Dr. Krishnan Rajagopalan que realizou a cirurgia para endireitar o pescoço de Mahendra ficou muito abalado com a morte do rapaz: “Eu só posso suspeitar que um ataque cardíaco ou pulmonar forte aconteceu. Muitas vezes não há sintomas premonitórios. Acho que a miopatia e músculos fracos no peito fizeram com que ele morresse.”
“Ele estava entre as crianças mais fortes que eu já vi desde que retornei à Índia. Para mim, a alegria e o sorriso em seu rosto quando sua cabeça foi endireitada coroaram o momento mais importante após minha decisão de operar crianças com problemas de colunas terríveis” pontuou. “Seu sorriso ficou mais brilhante que o Sol depois de seu pescoço foi endireitado”, completou Dr. Krishnan.
Sumitra e o pai do jovem, Ahirwar Mahendra Mukesh, de 42 anos, falaram sobre a morte de Mahendra: “Ele estava brincando na parte da manhã, tomou café da manhã, tomou um banho e fez um passeio na cadeira de rodas dentro de casa. Depois do almoço, foi assistir TV. Coloquei seu desenho animado favorito e ele tossiu duas vezes”
E completou: “Pediu-me para lhe esfregar o peito e, em seguida, tentou tossir de novo, mas morreu. Comecei a chorar alto. Corri para fora, gritava ‘meu filho não está se movendo’, um vizinho telefonou para o médico. O médico veio em 15 minutos e declarou que ele estava morto. Eu caí no chão e o segurei com força. Eu não queria deixá-lo ir.” Mahendra foi cremado em uma cerimônia tradicional Hindu cercado de 25 amigos e familiares.
Sumitra, que tem outros filhos Lalit, 17, e Surendra, 11 e Manisha, 14, desabafou: “Suas coisas estão espalhadas por toda parte. Nossa casa está cheia de seus pertences. Ninguém pensou que esse dia chegaria. Ele mesmo disse: ‘Eu estou absolutamente bem, mãe’. Sua voz ecoa no meu ouvido. Estou devastada. Eu sinto que tudo acabou.”
Mahendra ficou conhecido no ano passado, quando sua extraordinária condição ganhou as manchetes e sua história tocou o coração de Julie Jones, de Liverpool, que conseguiu levantar 12.000 Libras, cerca de 48.000 Reais, para a cirurgia que mudaria a vida do rapaz indiano. O jovem até ganhou um documentário que registrou a delicada operação de dez horas de duração para remover os discos de seu pescoço, e substituí-los por ossos de sua pélvis antes do enxerto e de uma placa de metal que foi colocada em seu pescoço para deixá-lo em linha reta.
Dr. Krishnan, do Hospital Apollo em Nova Deli, que tinha trabalhado para o Serviço de Saúde Nacional da Inglaterra (NHS) durante 15 anos antes de retornar à Índia para ajudar crianças com problemas de coluna extremos, foi surpreendido pela rápida recuperação de Mahendra e tinha ficado muito feliz com a maneira como seu pescoço tinha cicatrizado.
Dr. Krishnan acrescentou: “A morte de Mahendra não foi uma complicação da cirurgia ou qualquer outra intervenção. Se fosse o caso, ele teria morrido na mesa de operação ou na UTI, e não oito meses depois. Sua vida era limitada independentemente de qualquer outra coisa”. “A causa mais comum de morte em pessoas com Miopatia Congênita é resultado de complicações cardiopulmonares. Existem tantos tipos de Miopatia Congênita e subtipos que é impossível identificar qual deles Mahendra tinha”, completou Dr. Krishnan.
E finalizou “Vou sentir falta dele. Não tenho ideia de como vou lidar com a perda. Ele está com Deus agora. Espero que tenha encontrado a paz. Ele teve uma vida dolorosa. Espero que onde quer que esteja, que fique livre de dor“.



Informações: Daily Mail, via Jornal ciência
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário