Páginas

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Mãe fica frustrada quando médicos localizam “vagina oculta” em seu filho de 8 anos; entenda o porquê


Imagem de reprodução
Leanne Owen, 40 anos, da Inglaterra, há oito anos deu à luz Harry, um menino que nasceu com vários defeitos congênitos em regiões como coração, intestino, rins e coluna vertebral.

Conforme crescia, a mãe notou que o pênis do menino não estava se desenvolvendo adequadamente, além de parecer anormal. Os médicos descobriram que Harry tinha um escroto bífido – uma fenda no órgão que o dividia em dois e lhe dava a aparência de uma vagina – segundo informações do Daily Mail.



“Eu sabia que havia algo internamente errado com Harry, assim como os outros defeitos que foram descobertos quando ele nasceu. Passei meses com ele em grupos de apoio no Facebook, pedindo a especialistas ao redor do mundo que tentassem descobrir o que havia de errado”, disse a mãe. Até o momento, o menino já soma um total de 12 operações, incluindo a disposição de uma bolsa de colostomia, já que possui problemas no intestino.


Em maio do ano passado, depois de perceber que o pênis do filho não estava crescendo e aparentava ser anormal, a mãe recebeu o diagnóstico de que ele teria escroto bífido e duplicação uretral. Isto é, quando a uretra abre na base do pênis – e escroto – e é dividida em duas. Como seu caso era uma forma severa da condição, seu órgão genital se assemelhava à vagina de uma mulher. Para estes casos, somente a cirurgia é recomendada para corrigir o defeito, de acordo com a DSD Families.
O menino também foi diagnosticado com VACTERL (um acrônimo para: vertebral, anal, cardiovascular, traqueoesofágica, renal e de membros), uma associação não-aleatória de defeitos congênitos que podem estar relacionados. Não se sabe ao certo qual defeito genético ou cromossômico específico de causa.



Inicialmente a mãe ficou aliviada por saber o que acontecia com o filho, mas, também sentiu raiva por não ter recebido esse diagnostico logo após o nascimento, o que poderia ter poupado a criança de muita agonia, segundo ela. “Sinto-me frustrada porque se isso tivesse sido visto quando Harry ainda era um bebê, ele não teria que sentir a dor que sente agora”, disse.
De acordo com um porta-voz do Hospital de Machester, que cuidou do caso, é lamentável ouvir que a família tenha passado por tantas preocupações. “Estamos empenhados em fornecer um excelente padrão de atendimento e garantir que as preocupações sejam investigadas”, disse.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Daily Mail ]
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário