Páginas

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

As enfermeiras ficam perplexas com o que pula nos braços desta moribunda. Todas ficam sensibilizados


Rejane Chili tem 49 anos e mora em Porto Alegre. Poucos meses atrás, ela descobriu que tinha câncer e a doença logo evoluiu para a fase terminal. Muito fragilizada, Rejane já não pode sair do hospital, seguindo internada há várias semanas. Ao longo deste período difícil, a mulher recebe regularmente a visita de seus amigos e familiares, mas ela se queixa com frequência da ausência de alguém muito especial.




Rejane é apaixonada por seu cachorro Ritchie. Ela cuida do bichinho desde filhote, e o mima tanto quanto seu próprio filho. Para ela, passar todo este tempo longe dele tem sido uma verdadeira tortura. Assustada com a possibilidade de morrer sem vê-lo outra vez, Rejane pede muitas vezes que o cãozinho seja trazido até ela. Porém, visitas de animais são contra a regra do hospital. Além disso, o risco de contaminação para alguém com a saúde tão frágil é extremamente grande.
Mas Rejane está morrendo, e o contato com alguns germes adicionais não chegaria a piorar a sua atual condição. Comovidos com este último pedido, o Grupo de Cuidados Paliativos do hospital Ernesto Dornelles, onde ela está sendo tratada, resolve abrir uma exceção e autorizar a entrada deste visitante peludo.
No dia marcado, Tiago, filho de Rejane, pega um taxi com o cachorro e se dirige ao encontro de sua mãe. Por questões de segurança, o encontro é programado para acontecer em uma sala especial. Porém, quando o cão Ritchie vê de longe a sua dona, ele não aguenta esperar. O animal corre em direção a Rejane, e antes que alguém possa reagir, ele pula em sua maca, enchendo-a de lambidas. Que encontro emocionante! A mulher e o cão ficam claramente extasiados de felicidade. E todos ao redor caem no choro.




Este momento lindo foi gravado em vídeo pela família de Rejane:
Que imagens emocionantes! Certamente este foi um último pedido muito incomum. Porém, ele mostra o quanto nós nos apegamos aos nossos bichinhos de estimação. Mesmo nos momentos finais, Rejane queria ter a chance de dizer adeus ao seu melhor amigo. Se esta história também te tocou, compartilhe-a com todos que você conhece. Na medida do possível, nós devemos sempre escutar e respeitar o desejo daqueles que estão prestes a partir deste mundo.

Não Acredito
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário