Páginas

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Universitário mata casal a facadas e come rosto de uma das vítimas nos EUA


Austin Harrouf com uma camiseta do Alpha Delta Pi. Ele, no entanto, não é membro do grupo. Facebook

Um aluno de 19 anos da Universidade Estadual da Flórida (EUA) jantava com sua família na última segunda-feira (16), na cidade de Tequesta, quando ficou nervoso, saiu correndo do restaurante, matou duas pessoas e comeu o rosto de uma das vítimas, disse a polícia.
Momentos depois de Austin Harrouff deixar o restaurante, a polícia atendeu a um chamado de emergência. Havia acontecido um esfaqueamento. Quando os agentes chegaram ao local, encontraram o garoto mordendo e arrancando parte do rosto de um homem morto em frente a uma casa. A esposa do homem foi encontrada morta na garagem, e um vizinho também foi esfaqueado.
Harrouff foi acusado de duplo homicídio e levado a um hospital. Ele foi submetido a exames toxicológicos, mas ainda não foi encontrada nenhuma evidência de uso de drogas.
“Ele não tinha nenhum antecedente criminal… era uma boa pessoa”, disse o xerife William Snyder aos repórteres na terça-feira (17). Segundo Snyder, Harrouff aparentemente não conhecia as vítimas e o ataque pode ter sido “totalmente aleatório.”
As vítimas foram mais tarde identificadas como John Joseph Stevens, 59, e Michelle Karen Mishcon, 53. Eles deixam uma filha, Ivy Stevens.
“Nada nesse caso parece fazer sentido”, disse o xerife. “Quebramos a cabeça para tentar entender o que aconteceu e o porquê… mas não entendemos.”
O que não faz sentido para a polícia é que Harrouff não se encaixa na descrição-padrão de um assassino desequilibrado. Ele era um aluno excelente e uma estrela nas competições juvenis de futebol americano, de acordo com o “Miami Herald”.
Foto de John Joseph Stevens e Michelle Karen Mishcon compartilhada no Twitter.


Harrouff ficou em casa, em Tequesta, no final de semana, e visitou alguns parentes com seus colegas de fraternidade, disse Snyder disse a repórteres.
O adolescente estava jantando com sua família em um bar local quando ficou com raiva — talvez do serviço lento do restaurante, afirmou Snyder — e saiu enfurecido.
Ele então andou alguma quadras em direção à casa de seu pai e cruzou com Stevens e Mischon. O casal estava sentado em sua garagem com a porta aberta, um hábito deles, disseram vizinhos à polícia.
Harrouff então atacou o casal usando uma faca e outros objetos não afiados, matando-os. “Houve muita violência na garagem”, disse Snyder.
Um vizinho tentou conter Harrouff, mas o garoto teria virado contra ele e dito: “Você não quer que isso aconteça com você”, antes de atacá-lo com uma faca, segundo a polícia.
O vizinho fugiu e ligou para a polícia. Ele sofreu ferimentos leves e está no momento passando por uma cirurgia.
Quando a polícia chegou, os agentes encontraram Harrouff agachado sobre Stevens, “fazendo um barulho de animal”, “grunhindo e rosnando”, disse Snyder.
Depois de tentarem conter Harrouff com uma arma de choque e um cão policial, sem sucesso, três a quatro agentes conseguiram puxar o estudante para longe do corpo, sedando-o.
Tequesta, Estado da Flórida, em 2015. Lynne Sladky / AP


Snyder disse que, apesar de exames preliminares não terem detectado drogas no corpo de Harrouff, ele “não ficaria surpreso” se fossem encontradas evidências de uso de flakka — droga sintética também conhecida como alpha-PVP.
O ataque de segunda-feira lembra outro caso que também ocorreu nos EUA, em 2012, na Flórida. Na ocasião, um homem chamado Rudy Eugene atacou um morador de rua e comeu seu rosto. Apesar dos rumores de que Eugene estivesse sob o efeito de drogas sintéticas, a polícia só encontrou maconha em seu organismo. A vítima de Eugene sobreviveu.

BuzzFeed
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques