Páginas

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Quatro alunos ridicularizam idosa na internet até ela chorar. Mas eles não contavam com seu exército de 700 mil dólares.


Imagem de reprodução
Esta mulher foi ridicularizada na Internet. Mas ela virou o jogo contra os autores das ofensas.
Ela trabalhou boa parte de sua vida para um distrito escolar do Estado de Nova York, nos Estados Unidos, primeiro como motorista e depois como inspetora de crianças no ônibus, cuja função era tomar conta dos alunos.






O nome desta mulher é Karen Klein e a maioria irá se lembrar de sua história pelo resto da vida. Ela tinha 68 anos quando esta foto foi tirada.





Um dia, algo horrível aconteceu com a inspetora: um grupo de quatro garotos fez um vídeo que mostra como eles a humilham, ameaçam, ofendem e praticam todos os tipos de bullying e gozações. Karen tenta se defender, mas as palavras cruéis das crianças malcriadas levam a inspetora às lágrimas. Eles dizem que ela tem uma “bunda gorda”, que ela é pobre, feia e que ninguém gostava de passar tempo com ela, e que por isso toda a família dela havia se matado. As palavras eram tão cruéis como poderiam ser: o filho de Karen havia, de fato, se matado 10 anos antes.







Karen tentava desesperadamente se defender, mas depois de muitas tentativas, simplesmente não conseguia mais: as lágrimas escorriam pelo seu rosto e ela desmoronou. Mas as crianças continuavam.


Para consolidar o fato cruel e sem coração, as crianças reuniram todos os insultos em um vídeo e, como um troféu da humilhação, o publicaram no Facebook.
Nem Karen, nem as crianças, entretanto, contavam com o que aconteceria depois: o vídeo se espalhou rapidamente pelo Facebook e foi publicado também no YouTube. Entretanto, ninguém estava rindo de Karen Klein. Muito pelo contrário. A reação foi em uma direção completamente oposta: as pessoas ao redor do mundo inteiro estavam horrorizadas com o que as crianças haviam feito com aquela adorável senhora, que poderia ser a avó de muitas pessoas.


Uma dessas pessoas era Max Sidorow, de 25 anos. Ele havia vivenciado algo semelhante a Karen e iniciou uma campanha para ajudá-la: “Vamos dar a ela algo que ela jamais esquecerá: as férias de sua vida!” Ele queria juntar 5.000 dólares, mas uma onda de compaixão vinda do mundo inteiro fez com que sua campanha de doação atingisse patamares inimagináveis.


Mais de 32 mil pessoas de 84 países e todos os 50 Estados dos Estados Unidos fizeram doações para Karen Klein. Inúmeros famosos aderiram à campanha. E 700 mil dólares foram arrecadados! Karen ficou estupefata com tanta compaixão e mal podia acreditar. Mas sua verdadeira grandeza se mostrou quando ela decidiu o que faria com o dinheiro: um de seus netos tinha síndrome de Down e ela direcionou parte do dinheiro para a pesquisa dessa doença, enquanto uma outra parte foi dada à uma fundação antibullying.



Ela ficou bastante agradecida a Max Sidorow, o ajudante de bom coração que iniciou a campanha. “Que pessoa fantástica. E sobretudo altruísta.” Ele conseguiu transformar em algo bom uma história que começou horrível. Os quatro garotos ficaram 1 ano suspensos da escola e tiveram que fazer trabalho comunitário em asilos enquanto Karen foi com sua família para a Disneylândia.

E assim essa horrível história teve um final feliz. Compartilhe essa história sobre uma mulher forte e corajosa, que finalmente conseguiu o que merecia: uma vida calma, pacífica e sem bullying.

Agência de Notícias
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário