Páginas

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Jovem manda namorado estuprar a mãe por vingança e diz que não se arrepende


Suspeito invadiu a casa da mulher em Cajati (SP) e praticou o crime. Homem acusa jovem de ajudar a planejaram toda a ação.

Caso foi registrado na Delegacia Sede de Cajati, no Vale do Ribeira (Foto: G1)

O suspeito de estuprar uma mulher em Cajati, no interior de São Paulo, a mando da namorada de 15 anos, filha da vítima, afirmou, em depoimento, que o crime foi motivado pelo sentimento de ódio e vingança. Erivelton Bento, de 20 anos, foi preso na última quinta-feira (10) após espancar e violentar a própria sogra.

O caso ocorreu no dia 15 de fevereiro, quando a adolescente sabia que a irmã, de seis anos, não estaria em casa. Erivelton invadiu a casa da vítima com uma toalha no rosto e, antes de praticar o estupro, amarrou e espancou a vítima durante duas horas.
Segundo informações apuradas pelo G1, Erivelton disse, durante depoimento, que a garota falava repetidas vezes que odiava a mãe e que era constantemente maltratada. Durante depoimento do suspeito à polícia, o rapaz acusa a filha da vítima de participar no crime. Ele alega ainda que a menina não demonstrava arrependimento.
Após o crime, a dupla fugiu com dois celulares e R$ 600 da vítima. De acordo com a polícia, eles passaram por vários estabelecimentos logo após o crime para gastar o dinheiro. Já a vítima foi socorrida algumas horas depois por outro genro, que a levou para o hospital com vários ferimentos causados em decorrência das agressões.

Confissão via 'WhatsApp'

Após o registro do boletim de ocorrência, a polícia descobriu que os celulares haviam sido entregues para uma outra pessoa, que identificou o agressor. Após recuperar os aparelhos, os policiais descobriram uma conversa entre a adolescente e o suspeito no WhatsApp, onde os dois confessavam terem praticado o crime.
O caso foi registrado na Delegacia Sede de Cajati. O jovem foi preso e encaminhado para a Cadeia Pública de Barra do Turvo, também no Vale do Ribeira. Segundo a polícia, ele poderá pegar 20 anos de cadeia por roubo, estupro e corrupção de menor. Já a jovem foi encaminhada ao Conselho Tutelar.

Outro lado

Apesar das acusações, o advogado da jovem desmentiu as afirmações do suspeito à polícia. Em contato com o G1 na terça-feira (15), após a publicação da matéria, o advogado Hérik Chaves recém nomeado pela Defensoria Pública do Estado, disse que a menina é inocente e a jovem está sendo apontada como participante do crime injustamente. "Sabe-se lá por qual motivo a menor, vem sofrendo graves consequências da injusta acusação nos últimos dias".

Informações: G1
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário