Páginas

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Polícia vê legítima defesa no assassinato de 'fã' de Ana Hickmann


Imagem de reprodução
Neste sábado, um homem armado com um revólver calibre 38 entrou no hotel e abordou e rendeu Gustavo Corrêa, cunhado de Ana, e pediu para que o levasse até o quarto da apresentadora. Quando chegou ao local, ordenou que Ana e a cunhada, Giovana, mulher de Gustavo, ficassem sentados, de costas para ele. Gustavo disse que percebeu o descontrole de Rodrigo e tentou desarmá-lo. Nesse momento, Rodrigo atirou em direção à Ana. Os disparos acertaram Giovana.

A Polícia Civil de Minas Gerais aponta para reação em legítima defesa no assassinato de Rodrigo Augusto de Pádua, 30 anos, que invadiu no sábado (21), o quarto do hotel Ceasar Business, em Belo Horizonte, onde estava hospedada a apresentadora de televisão Ana Hickmann. Rodrigo foi morto a tiros por Gustavo Correa, empresário e cunhado da apresentadora.
Hickmann foi ouvida ainda no sábado (21) pelo Departamento de Investigação de Homicídio e Proteção à Pessoa, no bairro Bonfim, Região Noroeste de Belo Horizonte, e liberada, assim como seu empresário. A assessora da apresentadora, Giovana Alves de Oliveira, mulher de Gustavo e que também estava no quarto no momento da invasão, foi baleada e segue internada no hospital Biocor.
Conforme a Polícia Civil, Rodrigo se hospedou no hotel na sexta-feira (20). Ontem (21), depois do almoço, abordou Gustavo no elevador com um revólver calibre 38 e o obrigou a levá-lo até o quarto da apresentadora, que estava com Giovana. O agressor mandou que os três se sentassem virados para a parede e passou a dizer frases desconexas e gritar com a apresentadora.
Segundo o capitão da Polícia Militar Flávio Santiago, o assessor da apresentadora começou a discutir com Pádua sobre suas intenções. "Ele falava palavras desconexas e aparentava sofrer algum tipo de confusão mental", disse. Pelo que se apurou, o alvo de toda a sua fúria seria a apresentadora, alvo de xingamentos e queixas confusas.
Ana Hickmann se manifesta pela 1ª vez após atentado: "Nunca pensei que o ser humano fosse capaz disso"
Hickmann e Gustavo relataram ao delegado Flávio Grossi que, no momento da discussão, Rodrigo teria disparado duas vezes e acertado Giovana. As balas acertaram a assessora de Ana no ombro e na barriga. O empresário, então, começou a lutar com Rodrigo, tomou-lhe a arma e o acertou três vezes, inclusive na cabeça.
O capitão Santiago afirmou que, na sequência, o cunhado da apresentadora entregou a arma na recepção do hotel e pediu que a polícia fosse chamada.
O irmão de Rodrigo, Helissom Augusto de Pádua, que esteve no hotel, afirmou que a família verificou nas redes sociais mensagens do parente a Ana Hickmann. "Pegamos mensagens que foram enviadas à apresentadora pelo Instagram", disse. Nos textos, o atirador dizia que amava a apresentadora.
Helissom disse ainda que somente há pouco tempo a família ficou sabendo que Rodrigo era fã da apresentadora. Helissom contou ainda que o irmão morava em Juiz de Fora, na Zona da Mata, e que deixou a cidade afirmando que queria conhecer Belo Horizonte. O irmão afirmou ainda que Rodrigo não trabalhava, "apenas fazia academia e ia para casa".
O marido de Ana Hickmann, Alexandre Correa, seguiu ontem (21) para a capital mineira. O Hotel Caesar Business lamentou "ter sido o local do ocorrido" e afirmou que está contribuindo para as investigações. O Hospital Biocor, para onde Giovana foi levada, não detalhou o estado de saúde da vítima, alegando respeitar a vontade da família. Ana Hickmann estava na cidade para o lançamento de um produto de sua grife.
Procurada, a Record informou em nota oficial que "deseja a mais rápida recuperação de Giovana e informa que Ana Hickmann, apesar de tudo o que aconteceu, está se recuperando desta absurda situação".

Informações: R7
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques