Páginas

terça-feira, 24 de maio de 2016

Já ouviu falar na lenda da pintura do “menino chorando” do artista italiano Giovanni Bragolin?



Comumente associada ao artista italiano Giovanni Bragolin, a obra acabou se transformando, na década de 80, em uma lenda urbana que aterrorizou muita gente.
Conforme relatado pelo jornal inglês The Sun, a história começou com um incêndio em uma casa em Yorkshire, na Inglaterra, que destruiu toda a construção, exceto por um quadro em particular. A pintura em questão retratava o rosto de um menino chorando.


Assim, como toda e qualquer lenda, a história se espalhou e junto com ela uma série de controvérsias e ocultismo, que deram ao quadro a característica de “amaldiçoado”. Isso porque, a obra foi amplamente reproduzida, e em vários casos foram relatados incêndios domésticos envolvendo a presença da foto do menino.
Logo, em uma investigação feita por um comediante chamado Steve Punt, foi descoberto que, um dos bombeiros que atendeu ao chamado do incêndio foi quem notou a pintura intacta. Contudo, ele teria dito que esta não fora a primeira vez que algo assim saiu ileso a um incêndio. 


Dessa forma, Punt disse ter constatado que o menino não poderia estar envolvido em qualquer incêndio ou tampouco os tivesse começado. Assim, ele descobriu, através de um especialista em arte, Tim Marlow, que realmente se tratava de uma das pinturas de Bragolin, morto em 1981. Até então, ele teria feito representações semelhantes para turistas em Veneza. Contudo, para o comediante, a imagem não se encaixava com o conto disseminado na internet, que havia começado há mais de 25 anos.
A lenda em questão fala sobre um menino órfão, cujo os pais morreram em um incêndio e que foi adotado pelo pintor, apesar dos avisos de que a criança era uma incendiária – capaz de queimar as coisas sem precisar tocá-las. Assim, o estúdio do artista, supostamente, pegou fogo e a criança fugiu. Dez anos depois, ela teria morrido em um acidente de carro, em que o automóvel bateu e pegou fogo.

Entretanto, parece ser bem improvável que a foto de uma criança seja a responsável pelo incêndio de quase 50 mil exemplares da pintura. Ao examinar a obra original, disposta no laboratório Building Research Establishment, em Watford, Punt descobriu evidências de que a pintura sobreviveu ao incêndio simplesmente pelo fato de ter caído no chão com a face para baixo, recebendo proteção contra a fumaça e calor.


Segundo ele, é fácil de entender o porquê de uma lenda como essa ser disseminada. Ela possui todos os ingredientes para uma grande história de terror: uma criança estranha, uma série de incêndios, um artista misterioso e uma habilidade sobrenatural de suas obras sobreviverem ao fogo.

[ The Sun ] [ Foto: Reprodução / Bragolin ]
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques