Páginas

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

BBB apela para que programa volte a ser como antes após acusação de pedofilia


Imagem de reprodução
Como já ocorreu em outras edições, a vida real entrou sem bater na casa do "BBB16". É sempre estranho quando, em meio ao entretenimento descompromissado, temas pesados como racismo, homofobia, abuso sexual e, agora, pedofilia viram assunto do reality show.




Entenda o caso:



A Globo sempre adota uma posição ambivalente nestes casos. Com medo de perder o controle de situações com potencial explosivo, a direção do programa não gosta de ver estes assuntos sérios ocuparem espaço da edição. Por outro lado, é nessas horas que o reality mostra ser mais que uma diversão boba – ele às vezes também reflete problemas e distorções do mundo real. É preciso reconhecer que desta vez Mr. Edição cuidou de explicar, com didatismo, tanto no programa de sábado (30) quando no deste domingo (31), tudo que aconteceu. Bial abriu a mais recente edição falando que a casa vive uma "escalada de tensão". A razão, a esta altura todos já sabem, é um conflito entre Ana Paula e Laércio que degenerou em briga, gritaria e acusações graves. Com base no que o tatuador uma vez lhe disse, sobre namorar mulheres "novinhas" e se relacionar com menores de idade, a jornalista o acusou de ser "pedófilo" e, ao vê-lo dormindo de cueca, o chamou de "velho nojento e fedido". São acusações duras e ofensivas e não há como esclarecê-las dentro da casa do "BBB". Como ocorre com frequência cada vez maior, nas redes sociais, as ofensas dirigidas a Laércio são ainda mais pesadas e irresponsáveis. Anônimos ou não têm escrito coisas horrorosas sobre o candidato, como se o conhecessem intimamente. Há também questões morais envolvidas – Laércio tem 54 anos e se vangloriou, na conversa com Ana Paula, de ser procurado por mulheres muito mais jovens que ele. Além disso, tem uma aparência pouco convencional – pinta a barba de azul, é tatuado e anda sem camisa pela casa. Ana Paula tem 34 anos, é jornalista, mas não trabalha. "Sei que não sou inútil. Acho que não me encontrei profissionalmente. Trabalhar para falar para os outros que trabalho é a mesma coisa que casar pra mostrar que casou", ela disse antes de entrar no programa. O conflito entre os dois terá uma primeira solução na terça-feira. Ambos estão no paredão e um deles sairá do programa. Tenho a impressão, porém, que este assunto ainda terá repercussão mesmo depois da eliminação.

Mais sobre o caso: 


Informações:
Mauricio Stycer Uol
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

UOL Cliques